Estudo mostra que os sulfitos não são os vilões da dor de cabeça, aliás, seria exatamente o contrário

Sulfito
Tempo de leitura: < 1 minuto

Por André De Fraia

Pesquisa foi feita pela Master of Wine Sophie Parker-Thomson e aponta as aminas biogênicas como as vilãs

Uma pesquisa feita pela Master of Wine Sophie Parker-Thomson mostra que os sulfitos (SO₂) podem não ser os vilões da ressaca e dor de cabeça após beber um vinho.

Segundo ela a substância que teria maior potencial para causar problemas são as aminas biogênicas – compostos que têm maior probabilidade de causar dores de cabeça no vinho do que os sulfitos e são encontradas em níveis mais elevados em vinhos que não têm sulfito adicionado antes da fermentação.

Isso porque a parcela da população sensível às aminas biogênicas é muito maior do que a que tem sintomas adversos ao sulfito.

O artigo de Sophie Parker-Thomson MW descobriu que vinhos com mais de 30 mg por litro de SO₂ adicionado antes da fermentação tinham níveis muito mais baixos de aminas biogênicas.

Assim, a presença de sulfitos nesses vinhos pode muito bem mitigar os efeitos negativos que um bebedor de vinho pode sentir ao consumir um vinho com níveis mais elevados das aminas biogênicas.

Segundo Sophie Parker-Thomson MW, a pesquisa mostra que o argumento de que vinhos naturais, com pouca ou sem adição de SO₂, não causam dor de cabeça não é uma verdade.

Afinal os sulfitos não seriam os vilões como estão sendo pintados atualmente.

Fonte: Revista Adega

About ABS Minas

A Associação Brasileira de Sommeliers, Secção Minas Gerais, é uma associação sem fins lucrativos, que congrega apreciadores de vinho, cachaça e cervejas artesanais, e que tem por objetivo maior, propagar o conhecimento sobre a arte da degustação, além de atuar fortemente na qualificação de profissionais que atuam em restaurantes, bares, hotéis e outros estabelecimentos em que este profissional seja necessário.